[ Trem de Prata ]

(Petrópolis)

Albano Afonso, Ana Vitória Mussi, Cláudia Andujar, Gustavo Rezende, Leonora de Barros, Marcelo Zocchio, Marcos Chaves, Marcos Bonisson, Maria Klabin, Paula Trope, Rogério Canella, Rosângela Rennó, Vicente de Mello, Vik Muniz

Curadoria de Fernando Cocchiarale, Neno del Castillo e Sonia Salcedo del Castillo

abertura: 15 de dezembro de 2006
até 18 de março de 2007

Na visualidade contemporânea a experimentação revela-se elemento- chave. A arte dos dias atuais constitui-se de apropriações e montagens, como sugere Buchloh, resultando em multiplicidade e entrelaçamento de mídias e técnicas não apenas análogas à esfera artística – qual colagem de fragmentos diversos, boa parte dessas experimentações flerta com a fotografia.

No âmbito desse assunto, o Programa de Artes Visuais apresenta sua sexta exposição: trem de prata, a primeira mostra da cooperação técnica entre o Museu Imperial e o Centro de Artes Visuais da Funarte voltada para fotografia –técnica surgida em meados do século XIX que há muito vem sendo explorada pela arte enquanto meio, suporte ou linguagem. Desde as vanguardas do início do século XX, forma e imagem foram assim pesquisadas, como bem exemplificam as incursões dos construtivistas, dadaístas, futuristas, enfim. Mas experiências modernas brasileiras, realizadas no campo fotográfico a partir dos anos 40 e intensificadas nas duas décadas seguintes, são notáveis no escopo da produção artística nacional de hoje. Sobretudo após os desdobramentos gerados pelos concretos e neoconcretos, e marcadamente no eixo cultural Rio-São Paulo.

Artistas plurais como Athos Bulcão, Geraldo de Barros e José Oiticica Filho formularam pesquisas e experiências – entre a forma figurativa e abstrata, o acaso e o rigor técnico, a investigação científica e a curiosidade estética – e, assim, antecipando tanto aquela produção artística quanto a nossa mais recente, tornam-se paradigmas no conjunto ora apresentado. Contemplando o circuito Rio-São Paulo, a exposição reúne 14 artistas visuais integrantes da coleção Gilberto Chateaubriand e do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, cujas obras utilizam fotografia. Trem de prata quer levar o público visitante a aproximar-se desta fatia da história da arte recente. Desejamos a todos boa viagem.

Museu Imperial de Petrópolis - Galeria Plataforma Contemporânea
Rua da Imperatriz 220, Centro, Petrópolis - RJ
24-2237-8000 ou museu@museuimperial.gov.br
www.museuimperial.gov.br
Terça a domingo, 11-18h

Um comentário:

  1. Elena Guimarães07 março, 2007

    p.s. meu e-mail é artesvisuais2@museuimperial.gov.br

    ResponderExcluir