[ Fábio Carvalho - intervenção urbana "APOSTO" - Lisboa, Portugal ]

(Lisboa)
início: 12/2/2015
fim: indefinido

Fábio Carvalho está mais uma vez em Lisboa, Portugal, onde realiza a intervenção urbana "APOSTO".


foto: Rodrigo Vila

Para o projeto de intervenção urbana APOSTO, desenvolvido durante o período da Residência Artística HS13rc, em Lisboa, Portugal, Fábio Carvalho, que é um apaixonado pelos azulejos antigos, tendo até mesmo um projeto paralelo de levantamento dos azulejos antigos em sua cidade natal, o Rio  de Janeiro, foram criados três novos padrões de azulejo, a partir de fotos de peças da série "Delicado Desejo".


A série "Delicado Desejo" é composta por armas de fogo criadas a partir de um patchwork de diversas rendas. Como em toda a sua produção, Fábio Carvalho procura questionar o senso comum de que força e fragilidade, virilidade e poesia, masculinidade e vulnerabilidade não podem coexistir, propondo uma discussão sobre estereótipos de gênero.

Os novos padrões foram impressos a laser em papel, e depois os azulejos de papel foram aplicados com cola de amido em fachadas de prédios lisboetas onde os azulejos originais já estavam em falta nestas fachadas, por deterioração ou roubo. Nenhum azulejo original foi coberto pelos de papel. Em alguns casos, foram criados padrões específicos, visando um maior diálogo entre o padrão original e o criado pelo artista.


Procurou-se aplicar os azulejos de papel da melhor forma possível para se integrarem aos azulejos já existentes nas fachadas. Desde que começou a ir à Lisboa com regularidade, a partir de 2011, o artista ficou interessado pelos “remendos” errados que as pessoas fazem nas fachadas de suas casas, usando padrões diferentes dos originais para completar os buracos que vão aparecendo. Isto foi um dos pontos de partida para o desenvolvimento desta intervenção urbana.


Nesta ação, que Francisco Queiroz, Doutor em História da Arte, professor na Escola Superior Artística do Porto, e consultor na área da Reabilitação de Centros Históricos, afirmou na página do facebook do projecto SOS Azulejo (Portugal), seria uma "outra forma de chamar a atenção "para o constante problema de roubos e perdas de azulejos nas fachadas da cidade", nesta despudorada violação do patrimônio histórico público, podemos também ver uma analogia com a banalização da violência e da falta de valor da vida humana em nossos dias.



No total, durante 35 dias 300 azulejos de papel foram aplicados em 45 pontos de intervenção. Os azulejos de papel, ao mesmo tempo que causam um certo estranhamento ao olhar, podem ser por vezes facilmente confundidos com os azulejos originais.


Esta é a segunda vez em que o artista realiza um projeto de intervenção urbana naquela cidade. Ano passado Fábio Carvalho fez uma outra intervenção urbana, chamada “Migração Monarca”, durante as tradicionais Festas dos Santos Populares de Lisboa.

Os projetos de arte urbana de Fábio Carvalho atuam como pequenas inserções, peças que invadem o espaço quase como um parasita. As peças aparecem mais por tensionarem o que já está lá, em vez de impor-se de cima para baixo a um espaço. As peças exigem uma certa intimidade para entrar em ação. Eles permanecem dormentes até que você as ative com o seu olhar. Eles não gritam - sussurram.

Mapas do(s) tesouro(s)
(clique para ampliar)

Anjos e Penha de França
Bairro Alto, Baixa, São Cristóvão e Madalena
Graça

sobre o artista: Fábio Carvalho é um artista plástico carioca (Rio de Janeiro | Brasil) em atividade desde 1994 (13 exposições individuais e mais de 140 coletivas). Participou dos mais importantes projetos de levantamento de produção de arte emergente no Brasil nos anos 1990, como Antarctica Artes com a Folha, Salão MAM-Bahia de Artes Plásticas, Rumos Visuais - Itaú Cultural, Projéteis Funarte de Arte Contemporânea - RJ, Salão Nacional de Artes de Goiás e Salão Nacional de Artes Plásticas - MAM - RJ, entre outros. Fez exposições por quase todo o país, e já integrou mostras na Alemanha, Argentina, Chile, Cuba, Espanha, Equador, EUA, Hungria, Peru, Portugal, Reino Unido, República Tcheca e Rússia.

foto: Rodrigo Vila

saiba mais: www.fabiocarvalho.art.br/aposto.htm
facebook: www.facebook.com/fabiocarvalho2105
instagram: instagram.com/fabiocarvalho2105

[ Ambiguidades + Museu de Arte Postal 7a. edição ]

(Rio de Janeiro) 
abertura: 13/3/2015
até 9/5/2015


O Ateliê da Imagem Espaço Cultural inaugura mostra coletiva com dezenove artistas que, de alguma forma, utilizam a ambiguidade como valor fundamental na construção do seu discurso, frequentemente valorizando os ideais de informalidade, do acaso, da fragmentação, do inacabado e da indeterminação dos resultados.

Suas narrativas plástico - poético - visuais não caminham em linha reta, mas se bifurcam, entrecruzam-se, pois são múltiplos os focos narrativos e as possibilidades de desfecho. Assim, este projeto de exposição é colocado como uma proposta, cabendo ao participante construir sua versão.

Artistas
Alexandre Dacosta, André Sheik, Bob N, Eduardo Mariz, Felipe Barbosa, Greice Rosa, Julio Castro, Leonardo Ramadinha, Lia do Rio, Marcio Zardo. Marco Antonio Portela, Mirela Luz, Osvaldo Carvalho, Patricia Gouvêa, Raimundo Rodriguez, Rogério Reis, Rosana Ricalde, Suely Farhi, Xico Chaves

Curadoria: Marcio Zardo

Inauguração: 13 de março de 2015, às 19h

Visitação: até dia 9 de maio de 2015
Horários: Segunda a sexta de 10 às 21h; Sábado de 10 às 17h

Junto com a Exposição Ambiguidades, haverá o lançamento da sétima edição do Museu de Arte Postal com a participação do artistas Andréa Facchini, Fábio Carvalho, Greice Rosa e Guy Veloso.

Em tempos de correspondências digitais, o Museu de Arte Postal – MAP, surgiu para refletir sobre as possíveis formas de circulação de arte, apresentando espaços mais livres e terceiras vias para artistas atuarem, resgatar o objeto cartão postal e, ainda, apresentá-lo às novas gerações.

Local: Ateliê da Imagem Espaço Cultural
Avenida Pasteur, 453, Urca - Rio de Janeiro
Tel: 21 2541 3314

[ Espaço Atemporal na Graphos:Brasil ]

(Rio de Janeiro)
abertura: 31/3/2015 19h
até: 2/5/2015


Dezesseis artistas do Espaço Atemporal mostram obras inéditas na Graphos Brasil a partir de 31 de março.

Alexandre Baltazar, Antonio Bokel, Daniel Mattar, Danilo Omwisye (Zéh Palito), Elvis Almeida, Fabio Kohler, Guilherme Augusto Gafi, Heberth Sobral, João Maciel, Manu Alves, Mariana Moysés, Mayer, Osvaldo Carvalho, Paulo Arraiano, Ricardo Alvarenga e Xevi Solá.

"Compomos um movimento de relações em constante renovação. Somos a co-construção do espaço criativo pensante. O espaço como cosmos, não como lugar. Espaço Atemporal. Desterritorializado. Não existe um conceito definito. Abrimos possibilidades de projetos que se adaptem às realidades. Encontros. Cada parceria é única. A unicidade da linguagem de todos traduzida nas artes visuais como linguagem universal. A instabilidade do mundo cria oportunidades de agir com o processual. A arte propicia visível o invisível. Somos permeáveis. Não existe um corpo se movimentando. Somos múltiplos. Um atravessamento entre corpos, construindo o espaço coletivo. Cada movimento inaugura um novo momento. Há generosidade na experiência. A riqueza dos sentidos. Permitindo na troca dos saberes existentes a construção de algo novo. Re-significações da arte e da vida. Artes humanas. Força geradora da potência humana no exercício da liberdade. A atitude do fazer criativo. A subjetividade em diálogo. Lacunas plenamente preenchidas no todo. Harmonia oculta, afirmada na confiança. O não agir é agir. O tempo se abre no fluxo dos encontros das produções artísticas. Todas as possibilidades existem ao se criar um vocabulário próprio às experimentações. Transformação. A linguagem visual é comunicada por diversos sentidos se expandido constantemente a cada passo dado. Não falamos de território. Expandimos as margens com categorias amplas. Agregadoria. O Atemporal é coletivo. As diferenças se somam e um novo fazer acontece. O grupo se renova no eterno agora."

(este texto é uma sobreposição das vozes que habitam o Espaço Atemporal)

Abertura: 31 de março às 19h
Visitação: 01 de abril a 02 de maio
Horário: segunda a sexta das 11h às 19h
Rua Siqueira Campos, 143 - sobreloja 128 - Copacabana, Rio de Janeiro - Brasil

[ Manual de Voo ]

(São Paulo)


A exposição "Manual de Voo" de Sidney Philocreon consiste em um exercício de desenho e assemblage de objetos, uma ideia fabular onde a mão do artista confere um aspecto de transformação em uma matéria. Um conjunto de pássaros com aspecto de pedra, após uma manipulação ficcional retorna ao aspecto original, como se assim voltasse o poder de cantar e voar. O conjunto de desenhos trabalha metaforicamente a realidade da manipulação artística como forma de conferir potencialidade poética a matéria. Um gesto simples porém bastante simbólico. A parede ocupada como um campo de operação para esta ficção, possui pontos onde a peça com o pássaro fixo sobre uma pedra e com aspecto petrificado, aguardam pelo encontro com a mágica que vai lhe devolver liberdade. Parede em Arco.

[ Projeto Glory Hole ]

(São Paulo)
abertura: 10/2/2015
até: 24/4/2015

Galeria Jaqueline Martins inaugura projeto curatorial glory hole com o duo Tetine


A Galeria Jaqueline Martins inaugura no ano de 2015 o projeto glory hole. Glory hole nasce como um desdobramento da proposta conceitual da galeria que acredita em uma programação nutrida pela pesquisa, estabelecendo-se  como plataforma de ideias e experimentações práticas e teóricas.

O espaço destinado para projetos especiais que conta com um curador convidado por semestre dá oportunidade a curadores e artistas de diferentes gerações a materializarem suas pesquisas realizando exposições de caráter fortemente experimental. Inserido dentro do prédio da galeria, glory hole apresenta escala e dimensões que fogem do padrão convencional dos espaços arquitetônicos expositivos (2,15 x 1,38 x 0,90 cm).

Para a primeira ocupação do espaço glory hole o pesquisador Bruno Mendonça convidou a dupla de artistas brasileiros radicados em Londres – Tetine – formada por Bruno Verner e Eliete Mejorado. Com uma produção multimidia, a dupla apresenta um vocabulário híbrido e transdisciplinar cruzando linguagens e fronteiras entre os universos da música, da performance, da videoarte e do texto.

Em Raree-Show 1 a dupla apresentará uma instalação composta por sketchs de spoken word e experimentações sonoras que compõem uma narrativa que transita entre os campos da poesia, da literatura, do teatro, do cinema e da novela. As peças sonoras são como capítulos ou atos desta narrativa. O trabalho pode ser pensado de forma expandida como um livro, um filme ou uma peça de teatro.

A programação do espaço “glory hole” continuará ao longo do primeiro semestre de 2015 com curadoria de Bruno Mendonça e terá como convidados artistas como Cristiano Lenhardt, Annika Larsson, entre outros.

abertura: 10 de fevereiro de 2015, das 18h às 22h
exposição: 11/02/15 a 24/04/15
GALERIA JAQUELINE MARTINS
Pinheiros: r. Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 74, tel. (11) 2628-1943. Seg. a sex., 10h/19h; sáb., 12h/17h. www.galeriajaquelinemartins.com.br

[ exposição "Prometheus Fecit: terra, água, mão e fogo" chega a Óbidos (Portugal) ]

(Óbidos - Portugal)
abertura: 20/2/2015
até: 5/4/2015

A exposição coletiva de cerâmica PROMETHEUS FECIT chega a Óbidos (Portugal)


A exposição coletiva de cerâmica PROMETHEUS FECIT, que já passou pelo Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, Portugal, um dos mais importantes daquele país, tem sua primeira itinerância em 2015 em Óbidos. A exposição apresenta as obras resultantes de uma residência artística realizada entre fevereiro e julho de 2014 na Cerâmica PP&A São Bernardo, em Alcobaça. Portugal. A Cerâmica PP&A São Bernardo tem tradição na colaboração com renomados artistas internacionais, como Gerald Gulotta, Jasper Conran, James Packer, John Rochas, Arnold Zimmerman, Nancy Smith, entre outros. O projeto, que tem curadoria de Maria de Fátima Lambert (Portugal), conta com um total de 15 artistas brasileiros e portugueses, entre estes Albuquerque Mendes (PT), Estela Sokol (BR), Fábio Carvalho (BR), Gabriela Machado (BR), Isaque Pinheiro (PT) e Sofia Castro (PT).

[ Biblioteca Ilustrada, Sábado e Domingo ]

(São Paulo)
abertura: 7/3/2015 | 14h-18h
até: 4/4/2015

Teresa Berlinck | Série Biblioteca Ilustrada

O dconcept escritório de arte tem o prazer de apresentar a primeira individual da artista Teresa Berlinck. Intitulada Biblioteca Ilustrada, Sábado e Domingo. A mostra, que ocorre entre 7 de março e 4 de abril de 2015, é composta por séries que investigam herança cultural, identidade, memória e cotidiano.

Na série Biblioteca Ilustrada, objetos herdados e ilustrações são reunidos em montagens nas quais o livro é o protagonista. Em procedimento que a artista compara a reedições, partes de volumes de sociologia de uma biblioteca dos anos 1970, uma coleção de cartuns da década de 1960, ilustrações e utensílios do cotidiano são combinados para criar objetos que propõem um jogo de perguntas e respostas sobre herança cultural, identidade e memória.

Em Sábado e Domingo, a artista apresenta uma série de oito pinturas sobre o cotidiano na cidade. A técnica de pintura a óleo foi utilizada em diálogo com a fotografia, em cenas captadas do ponto de vista do pedestre que figuram pessoas caminhando, conversando, esperando, olhando o celular e também objetos como bolos em uma vitrine e obstáculos na calçada.

Serviço:
Teresa Berlinck – Biblioteca Ilustrada, Sábado e Domingo
abertura: sábado, 7 de março, 14h-18h
período da exposição: 7 de março a 4 de abril de 2015
dconcept escritório de arte

Jardim Paulista: Al. Lorena, 1.257, G1 / C3 (Vila Flávio de Carvalho), tel. (11) 3085-5006. seg.a sex, 14h/19h; sáb., 11h/15h. 

[ exposições do 6° Salão dos Artistas Sem Galeria ]

(São Paulo e Belo Horizonte)
de 22/01/2015 até 29/03/2015
(veja as datas de cada galeria no serviço)

6° Salão dos Artistas Sem Galeria exibe obras dos 10 artistas selecionados em galerias de SP e MG

Os dez artistas selecionados na 6ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria, promovido pelo Mapa das Artes (www.mapadasartes.com.br), participam de exposições coletivas em três galerias. Em São Paulo, as exposições são simultâneas e ocorrem na Galeria Sancovsky (antiga Arterix) (de 22/1 a 21/2) e na Zipper Galeria (de 23/1 a 21/2). Em Belo Horizonte, a mostra ocorre na Orlando Lemos Galeria, entre 07 e 29/03/15. O artista premiado ganhará uma individual no mesmo período no espaço mineiro.

Andrey Zignatto

O júri de seleção foi formado pelos curadores Adriano Casanova, Enock Sacramento e Mário Gioia, que escolheu os seguintes artistas: Andrey Zignnatto (SP), Charly Techio (SC/PR), Cida Junqueira (SP), Evandro Soares (BA/GO), Fernanda Valadares (SP/RS), Lucas Dupin (MG), Marcos Fioravante (PR/RS), Myriam Zini (Marrocos/SP), Piti Tomé (RJ) e Thais Graciotti (ES/SP). Após a abertura, o júri fará votação para definir o ganhador do prêmio. O escolhido ganhará ainda uma exposição individual na Orlando Lemos Galeria. Todos os dez selecionados recebem ajuda de custo.

O Salão dos Artistas Sem Galeria tem como objetivo avaliar, exibir, documentar e divulgar a produção de artistas plásticos que não tenham contratos verbais ou formais (representação) com galeria de arte na cidade de São Paulo. O Salão é uma porta de entrada para os artistas selecionados no mundo das artes.

Myriam Zini

A 6ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria recebeu 145 inscrições de 11 Estados brasileiros mais o Distrito Federal. São Paulo compareceu com 88 artistas, sendo 69 da capital, 15 do interior, 4 do ABC e um do litoral. Rio de Janeiro teve 19 inscritos (14 da capital e cinco do interior e litoral). Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais vieram em terceiro, com sete inscritos cada. Santa Cataria compareceu com quatro inscrições. Amazonas, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso e Pará tiveram uma inscrição cada.

Thais Graciotti

Serviço:

GALERIA SANCOVSKY (Antiga Arterix)
Abertura: 22 de janeiro, quinta-feira, das 19h às 22h
Período expositivo: de 23 de janeiro a 21 de fevereiro de 2015
Praça Benedito Calixto, 103, Pinheiros, São Paulo, SP
Tel.: (11) 3086-0784. | Seg. a sex., 10h/19h; sáb., 10h/18h30.

ZIPPER GALERIA
Abertura: 23 de janeiro, sexta-feira, das 19h às 22h
Período expositivo: de 24 de janeiro a 21 de fevereiro de 2015
Rua Estados Unidos, 1.494, Jardins, São Paulo, SP
Tel.: (11) 4306-4306 | Seg. a sex., 10h/19h; sáb., 11h/17h.

ORLANDO LEMOS GALERIA
Abertura: 07 de março de 2015, das 12h às 18h
Período expositivo: de 08 a 29 de março de 2015
Nova Lima: r. Melita, 95, Jardim Canadá,
Tel. (31) 3224-5634 e 3581-2025 | Seg. a sex., 10h/19h, sáb., 11h/17h, dom., 12h/16h.

[ Vânia Mignone ]

(São Paulo)
abertura: 5/2 | 19 - 23 h
até: 28/3



Em sua nova individual na Casa Triângulo, Vânia Mignone reúne séries de pinturas que trafegam por uma iconografia apropriada de cartazes antigos de cinema e pelo movimento das estradas.

Parte das obras presentes nesta exposição revelam paisagens do interior paulista pelo ponto de vista do carro, como placas de rodovias ou letreiros tridimensionais. São pinturas silenciosas, mas que evidenciam um passeio pelas estradas ou uma viagem. A visão através do parabrisa do autóvel sugere a chegada a alguma cidade, como nas obras “Lins” ou “Desvio para Paulínia”, da série inédita de gravuras pintadas.

A série de pinturas e colagens vermelhas flertam com linguagens utilizadas no cinema ou no universo das histórias em quadrinhos e recorrem a fragmentos de uma narrativa na qual personagens protagonizam situações encenadas. Uma outra série inédita de pinturas brancas, parece discutir tal artificialidade da representação, sem perder a delicadeza.

Outra novidade no trabalho da artista é o uso de papel garimpado em sebos, geralmente de impressões da Taschen Books, que carregam resquícios das impressões originais, forçando a atemporalidade de sua obra.

As palavras de linhas grossas formam frases que ganham força poética e fazem o trabalho de Vânia Mignone ter um estilo identificável, que ecoa e reverbera na memória do espectador como se fosse um sonho, uma realidade ou uma memória, que já faz parte de nosso repertório visual.

abertura: 5 de fevereiro das 19 às 23 horas
exposição: de 6 de fevereiro a 28 de março de 2015
horário de funcionamento: de terça a sábado das 11 às 19 horas
casa triângulo
rua pais de araujo 77 são paulo 04531-090

[ Estranhamentos - visita guiada e lançamento do catálogo ]

(Rio de Janeiro)
data: 26/03/2015 - 17h


Visita guiada, conversa com artistas e curadora e lançamento do catálogo da exposição "Estranhamentos", no Centro Cultural Justiça Federal , no dia 26 de março, 5a.feira, 17h


A partir de uma frase de Sigmund Freud sobre o efeito de estranheza inquietante que se dá em relação ao que é, ao mesmo tempo, familiar e estranho, a curadora Isabel Portella convidou três artistas do cenário contemporâneo carioca (Arthur Arnold, Jozias Benedicto e Ursula Tautz), de poéticas diferentes, para pensarem sobre esse “estranhamento” e desenvolverem trabalhos especialmente para esta exposição, no Centro Cultural Justiça Federal, no Centro do Rio. Ao propor a exposição a partir de uma frase, a curadora quis provocar nos artistas — Artur Arnold, Jozias Benedicto e Ursula Tautz — um estímulo para a produção de novas/outras obras. O estranhamento de algo familiar pode estar em qualquer um e/ou em qualquer lugar, como se estivéssemos em um pêndulo que não nos permite discernir bem o que está acontecendo. Os artistas atenderam ao desafio da curadora e realizaram suas obras marcados por esse tipo de experiência em que o familiar se torna estranho e o estranho é familiar.
Na próxima 5a.feira, dia 26 de março, curadora e artistas recebem o público interessado para uma visita guiada, um bate-papo sobre a exposição e o lançamento do catálogo, que será distribuído aos presentes.

A exposição Estranhamentos no Centro Cultural Justiça Federal está em cartaz até o dia 12 de abril e tem entrada franca.

SERVIÇO
Estranhamentos – Arthur Arnold, Jozias Benedicto e Ursula Tautz
Centro Cultural da Justiça Federal
Av. Rio Branco, 241, Centro, Rio de Janeiro
Abertura: 26 de fevereiro de 2015, 19h
Em cartaz de 27 de fevereiro a 12 de abril de 2015
Horário de funcionamento: terça a domingo das 12:00 às 19:00h
Visita orientada pela curadora e artistas e lançamento do catálogo: 26 de março de 2015 às 17h