[ Paulo Werneck – muralista brasileiro ]

(Belo Horizonte)
abertura: 15 de novembro de 2014
até 1 de março de 2015


Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Recife, a exposição Paulo Werneck - muralista brasileiro será inaugurada no dia 15 de novembro no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte. Desenhos originais, imagens de painéis, filmes, documentos e mobiliário compõem a mostra do ilustrador e artista carioca, que colaborou com grandes nomes da arquitetura brasileira, como Oscar Niemeyer e os irmãos Roberto.

A chegada da mostra a Belo Horizonte tem um significado especial, já que entre as obras de maior de destaque da carreira de Paulo Werneck (1907-1987) estão os painéis da Igreja São Francisco de Assis e o painel da Casa de Juscelino Kubitschek, na Pampulha, realizadas em 1943. A edição mineira da exposição será a mostra mais completa já realizada sobre o trabalho de Paulo Werneck no Brasil, criando um panorama da evolução da arquitetura moderna no país através dos murais criados pelo artista. Além dos famosos painéis da Pampulha, são obras de Werneck os painéis do Estádio do Maracanã, do Ministério da Fazenda (Rio de Janeiro), do Senado e do Palácio do Itamaraty (Brasília), e da agência do Banco do Brasil no Recife Antigo (Recife), entre outros 300 murais para residências, prédios públicos e comerciais. Seus trabalhos estão expostos a céu aberto em cidades brasileiras.

Os visitantes poderão conferir um total de 150 projetos para painéis em guache sobre papel, documentos, reproduções fotográficas e ilustrações do artista para livros infanto-juvenis como "A Lenda da Carnaubeira" e "Negrinho do Pastoreio". O documentário Paulo Werneck – arte e raiz, dirigido por Paula Saldanha e o vídeo P.W. Pincéis e painéis, de Vivian Ostrovsky, completam a imersão no universo do artista.

 
SERVIÇO:
Exposição Paulo Werneck – muralista brasileiro
Museu de Arte da Pampulha
Av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585. Pampulha, Belo Horizonte – MG
abertura: 15 de novembro de 2014
até 1 de março de 2015
terça a domingo, das 9h às 18h30
entrada gratuita
informações: (31) 3277-7946
www.projetopaulowerneck.com.br

[ Mais Pintura ]

(Brasília)
abertura: 18/11/2014, 20h
até 23/01/2015



Exposição coletiva com onze alunos da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, do Rio de Janeiro: Angela Od (RJ), Benjamin Rothstein (RJ), Bruno Belo (RJ), Caio Pacela (SP), Cláudia Porto (PA), Cláudio Gabriel (RJ), Fabiano Devide (RJ), Fernanda Leme (RJ), Gabriel Secchin (RJ), Makh Yosizawa (JAP) e Paloma Ariston (RJ). Curadoria de Bruno Miguel e Luiz Ernesto.

A exposição apresenta pinturas de novos artistas que se encontram semanalmente para discussão e análise crítica de seus trabalhos com os curadores. Procurou-se selecionar os artistas que pudessem evidenciar em seus trabalhos o vigor, a disciplina e a diversidade da pintura de um grupo de novos artistas no Rio de Janeiro.

Espaço Cultural Contemporâneo ECCO
SHIN CA 4, Loja 143 - Shopping Iguatemi - Brasília
abertura: 18/11/2014, 20h
até 23/01/2015
segunda/sábado, 10h às 22h | domingos/feriados, 14h às 20h

[ Edições e Múltiplos: do Concretismo ao Contemporâneo ]

(São Paulo)
abertura: 29 de novembro, sábado, das 11h às 18h.
até: 20 de dezembro de 2014.

A Galeria Superfície apresenta a partir do dia 29 de novembro de 2014, a  exposição “Edições e Múltiplos: do Concretismo ao Contemporâneo”, em parceria com a Multiplique Boutique e a Papel Assinado.

Democratizar e tornar a produção de artistas consagrados mais acessível é o ponto crucial desta exposição que inclui obras de Hercules Barsotti, Sacilotto, Julio LeParc, León Ferrari, Cildo Meireles, Antonio Dias, Leonilson, Edgard de Souza, entre outros.

abertura: 29 de novembro, sábado, das 11h às 18h.
até: 20 de dezembro de 2014.
Galeria Superfície
Rua Oscar Freire, 240 . Cerqueira César . São Paulo – SP

[ Prometheus Fecit: terra, água, mão e fogo ]

(Porto - Portugal)
abertura: 2 de outubro de 2014, 18h
até: 14 de dezembro de 2014

Os processos de residências artísticas, na era do contemporâneo, propiciam a reconquista da experiência em que a permanência e a duração são incentivos pretendidos. Numa época em que as tarefas, desempenhos e situações se concatenam (quase sem intervalos de pensamento), na exigência de respostas quase imediatas, demora e decorrência são privilégios para os artistas e demais operadores culturais.

Em 2014, reuniu-se um grupo de artistas brasileiros e portugueses (Albuquerque Mendes, Beatriz Sanchez Horta Correia, Bela Silva, Catarina Branco, Carolina Paz, Estela Sokol, Fábio Carvalho, Gabriela Machado, Graça Pereira Coutinho, Isaque Pinheiro, Jorge Abade, Luis Nobre, Maria Pia Oliveira, Sofia Castro e Susana Maria Clemente Piteira), procedendo de diferentes contextos e formações, “chegados” de viagens transatlânticas ou deslocando-se de cidades portuguesas. Tal confluência proporcionou contextos inesperados de experiência e pensamento; promoveu diálogos e confrontos; impulsionou novas articulações poéticas e conceituais. Associou-se técnica e criatividade, refletindo intencionalidades e decisões diferentes, por parte dos artistas e dos outros protagonistas que os visitaram durante as estadias.

"Em pele de cordeiro" - Fábio Carvalho
aprox. 1.000 peças de faiança vidrada | 2,0 x 1,6 m
foto: Maria de Fátima Lambert

[ Fábio Carvalho em exposição no Museu Nacional Soares dos Reis, Portugal ]

O artista carioca Fábio Carvalho participa com duas obras inéditas em cerâmica, a partir de 2 de outubro, na exposição coletiva “Prometheus Fecit” no Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, Portugal, um dos mais importantes daquele país.


Em Pele de Cordeiro, detalhe

As duas obras de Fábio Carvalho ("Em Pele de Cordeiro" e "Gêmeos") são resultado da residência artística realizada em junho passado na Cerâmica PP&A São Bernardo, em Alcobaça. Portugal. Esta foi a quinta residência artística de Fábio Carvalho em terras lusas. O projeto tem curadoria de Maria de Fátima Lambert (Portugal), e conta com um total de 15 artistas brasileiros e portugueses, entre estes Albuquerque Mendes, Catarina Branco, Carolina Paz, Estela Sokol, Fábio Carvalho, Gabriela Machado, Isaque Pinheiro e Sofia Castro. 

Cerâmica PP&A São Bernardo tem tradição na colaboração com renomados artistas internacionais, como Gerald Gulotta, Jasper Conran, James Packer, John Rochas, Arnold Zimmerman, Nancy Smith, entre outros.
Em Pele de Cordeiro

Na obra Em Pele de Cordeiro Fábio Carvalho criou um mosaico com mais de 1.200 borboletas e flores moldadas uma a uma à mão pelo próprio artista, vidradas em 6 cores diferentes, que juntas formam o desenho de um soldado em tamanho natural, vestindo um uniforme militar camuflado segurando um fuzil. O soldado em mosaico encontra-se "deitado" sobre uma superfície de 60 cm de altura (aproximadamente a altura de uma cama). As borboletas e flores não estão coladas na superfície, acentuando o caráter frágil das pequenas peças, e reforçando a ideia de efemeridade da obra, de que tudo aquilo pode se desfazer a qualquer instante.




Gêmeos

Já a obra Gêmeos apresenta-nos 4 touros vermelhos e brilhantes de tamanho médio (45 x 35 x 30 cm), sendo que dois touros são exatamente como costumam ser produzidos na fábrica (exceto pela cor), e dois touros resultam de uma colagem com acréscimo de diversos ornamentos, alguns buscados de outras peças da fábrica, e outros criados originalmente pelo artista. 

O touro, símbolo tradicional de virilidade, força e impetuosidade, parece agora adocicado pelos ornamentos agregados. Mas isto não quer dizer que não seja mais viril.

Como em toda a produção atual de Fábio Carvalho, o artista procura questionar o senso comum de que força e fragilidade, virilidade e poesia, masculinidade e vulnerabilidade não podem coexistir, propondo uma discussão sobre estereótipos de gêneros.


Serviço:
exposição "Prometheus Fecit"
abertura 2 de outubro, 18h
até 14 de dezembro 2014
artistas: Albuquerque Mendes, Beatriz Sanchez Horta Correia, Bela Silva, Catarina Branco, Carolina Paz, Estela Sokol, Fábio Carvalho, Gabriela Machado, Graça Pereira Coutinho, Isaque Pinheiro, Jorge Abade, Luis Nobre, Maria Pia Oliveira, Sofia Castro e Susana Maria Clemente Piteira
curadoria: Maria de Fátima Lambert
Museu Nacional de Soares dos Reis
rua D. Manuel II, 44, 4050 - 342, Porto, Portugal
horários: 3ª 14h - 18h | 4ª a Dom 10h - 18h

[ Variáveis de bancos de jardim ]

(São Paulo)
até 6/12/2014


Com curadoria de Ricardo Resende, a primeira individual da artista Sílvia Ruiz na Gravura Brasileira reúne séries inéditas de xilogravuras e fotogravuras. Segundo o curador são "Imagens que vêm da introspecção interior ou nas próprias ações da artista e das anotações visuais que faz da cidade. Silvia Ruiz faz uma espécie de diário dos fatos do seu quotidiano e das ocorrências dos seus estados de espírito ao observar um simples banco de jardim e transformá-lo em uma poesia visual gravada".

Para esta mostra na Gravura Brasileira, Silvia Ruiz traz fotogravuras e xilogravuras de cortes vigorosos desprendidos sobre a madeira e depois transferidos para o papel. Entalha na madeira e transfere a imagem para o papel com a colher de pau e é desse gesto que extrai toda a expressividade da linguagem com vistas de bancos. O que exige da artista dedicação e força nos braços e mãos para cavar e imprimir. É um trabalho exaustivo para conseguir os belos e delicados resultados sobre grandes folhas de papel.

até 6/12/2014
Gravura Brasileira
rua Doutor Franco da Rocha, 61, Perdizes - SP
seg/sex - 10/18h | sábado - 11/13h

[ Fábio Carvalho | Portfólio de Ações - 2010/2014 ]

(Rio de Janeiro)
abertura: 12 de novembro, quarta, 18h
até: 5 de dezembro, seg/sex, 9 às 20h

Exposição que traz pela primeira vez um panorama da produção artística de Fábio Carvalho nos últimos cinco anos abre dia 12 de novembro, quarta-feira, às 18h na Galeria de Arte do Café Baroni. O projeto é uma parceria entre a Caza Arte Contemporânea, Marcia Zoe Ramos Escritório de Arte e Raquel Baroni.


O artista carioca Fábio Carvalho abre no próximo dia 12 a exposição “Portfólio de Ações - 2010/2014", na galeria de arte do Café Baroni, localizada no Edifício Bolsa do Rio, na praça XV de novembro n° 20, Centro. Esta exposição apresenta 42 trabalhos criados entre 2010 e 2014, sendo que mais da metade destes ainda são inéditos no Rio, e traz como destaque a série inédita “Unidade do Exército Monarca”.

Na série Unidade do Exército Monarca — ou simplesmente UdEM —, vemos uma grande quantidade de impressões de soldados segurando um fuzil, com asas de borboleta saindo de suas costas. As impressões em folhas de papel de seda foram feitas com carimbos de borracha produzidos à mão pelo próprio artista, e em seguida coladas sobre 11 telas na forma de "lambe lambe". O "Monarca" do título é uma referência à borboleta monarca (Danaus plexippus) recorrente em trabalhos de Fábio Carvalho.


7ª Udem (Unidade do Exército Monarca)
"lambe lambe" (impressão com tinta acrílica e carimbos em papel de seda) s/ tela

Desde 2009 Fábio Carvalho nos convida a uma reflexão sobre os elementos que constituem as expectativas de gênero. Seus trabalhos operam na superposição e no conflito entre elementos tradicionais do universo feminino, em particular os padrões decorativos florais, as borboletas, a louça de porcelana, o scrapbook vitoriano, o bordado, as pérolas, as rendas e os cristais, com os estereótipos de masculinidade, como o militar, o policial, o executivo, o halterofilista, o cowboy, etc. O artista acredita que a reflexão proposta por sua produção possa nos levar a novas posturas e ações frente a uma questão tão urgente em nossos dias. Basta lembrar a quantidade absurda de pessoas agredidas e até mesmo mortas diariamente no Brasil pelo simples fato de serem diferentes.

Pérolas aos poucos n° 4
tecido montado sobre chassi, bordado à mão, apliques industriais, pérolas falsas, cristais falsos

Nos trabalhos de Fábio Carvalho ficamos frente a frente com imagens e objetos plenos de beleza, sedução e delicadeza, talvez fazendo-nos até esquecer que estes estão entremeados ou partem de elementos que representam violência e repressão, em particular tendo em mente a história recente brasileira. Estamos, portanto, diante de um dilema provocado por um discurso aparentemente contraditório, e cabe a cada um tomar a sua posição frente a este dilema.

Em seu trabalho o artista procura questionar o senso comum de que força e fragilidade, virilidade e poesia, masculinidade e vulnerabilidade não podem coexistir, propondo uma discussão sobre os estereótipos de gêneros. E agora, na Galeria de Arte do Café Baroni, temos a oportunidade de conferir trabalhos de diversas séries e épocas do artista juntos pela primeira vez.
Medalhão Monarca 2
faiança vidrada e policromada à mão com uso de estampilhas originais criadas pelo artista

Serviço:
exposição “Fábio Carvalho | Portfólio de Ações - 2010/2014
galeria de arte do Café Baroni
Bolsa do Rio - praça XV de novembro n°20 – Centro
abertura: 12 de novembro, 18h
até: 5 de dezembro, seg/sex, 9 às 20h

[ Cerâmica! ]

(Rio de Janeiro)

abertura: 19/9/2014
até: 30/11/2014


CERÂMICA!

A exposição que abre na Galeria Meninos de Luz este mês traz para a comunidade o trabalho de artistas envolvidos com a cerâmica e suas várias particularidades. São obras que vão desde a manufatura própria do artista até a apropriação de peças prontas e retrabalhadas. 

Cris Cabus

A mostra reúne utilitários de design elaborado, mas tem seu foco na construção poética visual que abre novas perspectivas de entendimento dessa técnica para além da mera formalização tradicional e alcançando patamares de verdadeiras obras de arte.

Sylvia Goyanna

Outra atividade já consagrada em exposições anteriores na galeria será a oficina ministrada por artistas aos alunos do Solar, mas com a novidade de que dessa vez os alunos serão levados ao ateliê de cerâmica para conhecerem de perto como tudo funciona e também lá executarem trabalhos de cerâmica artística.

Jesse Emidio

A pluralidade de meios é o foco que se busca a cada nova exposição realizada na galeria que já recebeu grafiteiros, gravuristas, fotógrafos, poetas visuais, pintores e agora ceramistas, e sempre com o viés de que artistas estivessem envolvidos com essas práticas dedicando olhar mais atento às questões relevantes que norteiam o fazer artístico.

Osvaldo Carvalho
curador

Fábio Carvalho

serviço:
Cerâmica! 
exposição de Cris Cabus, Denize Torbes, Fábio Carvalho, Guilherme Toledo, Jesse Emidio, Rosita Rocha e Sylvia Goyanna.
curadoria Osvaldo Carvalho
ABERTURA: 19/09 - sexta feira - 16:30h
GALERIA MENINOS DE LUZ
Rua Saint Roman, 149 - Copacabana

[ Paisagens Inventadas ]

(Rio de Janeiro)
abertura: 28/11/2014 - 19h


Fechando o ano e iniciando sua primeira exposição coletiva, a EIXO Arte apresenta PAISAGENS INVENTADAS. Sob a curadoria de Marco Antônio Portela a exposição leva ao visitante, fotografias e vídeos de 24 artistas. A exposição propõe a reinvenção da paisagem sob uma perspectiva contemporânea, usando como forma de circulação a rede mundial de computadores para refletirmos sobre a noção de paisagem frente aos desafios que a contemporaneidade apresenta.

Importantes nomes das artes visuais estarão presentes na primeira coletiva da jovem, porém inovadora plataforma. A novidade para esta coletiva, contam Sara Figueiredo e Sandra Tavares (fundadoras da Eixo) é que a exposição virtual 3D será projetada em espaço real no momento exato de seu lançamento na web, fato este que marcará um novo momento na trajetória da Eixo.

A escolha do Ateliê da Imagem, situado na Urca, não foi por acaso. Entre artistas, estudantes, amigos e o tradicional bairro nobre da Zona Sul da cidade do Rio, o Ateliê da Imagem vem se consolidando como uma das principais referências brasileiras no ensino, produção e pensamento sobre a fotografia e a imagem contemporânea. Uma escola livre de imagem, responsável pela formação de uma nova geração que hoje é revelada em concursos, editais e projetos em todo o Brasil.

A inauguração será no dia 28 de novembro de 2014 às 19h no Ateliê da Imagem localizado na Av. Pasteur, 453 – Urca. A exposição virtual 3D estará disponível para ser visitada em detalhes a qualquer hora e lugar através do site www.eixoarte.com.br

[ Dez ao Cubo - Juntos e Misturados ]

(Porto Alegre)
abertura: 18/10/2014 - sábado - 20h
até: 14/11/2014

O novo encontro dos artistas que integram o grupo Dez ao Cubo se dá pela primeira vez trazendo convidados que aderiram ao conceito de se questionar a originalidade criativa pela apropriação do hexaedro regular comumente conhecido como cubo. 


Semelhante a todo grande movimento, a reunião dos artistas surgiu de uma controvérsia sobre a autenticidade de faturas, ou melhor, quem foi o primeiro a “pensar” o cubo? E o que parecia apenas uma questão dialética de menor monta, indissolúvel mesmo, acabou por encontrar quem se propusesse a ser “herdeiro” único do referido poliedro regular. A reivindicação de posse de algo hoje tão arraigado ao DNA humano pareceu um despropósito inconcebível de tal ordem que impulsionou dez artistas a se juntarem na causa de se manifestarem através das infinitas possibilidades de se examinar, externar e explicitar a configuração cúbica.

aspectos da primeira exposição Dez ao Cubo, no Estúdio Dezenove

Os ecos dessas indagações vieram com uma mostra que mais que buscar teorias desafiou-as, mais que criar conceitos tornou-os obsoletos diante da precária afirmação de uma identidade única para a forma. Sim, o projeto desmistificador engendrado pelo grupo que se intitulou Dez ao Cubo foi mais além do que a mera aparência de uma ocupação de resistência, foi a própria reação contra a inércia da mentalidade contemporânea tacanha que se julga proprietária de uma visualidade única e erudita.

Ilcio Arvellos Lopes

Em sua terceira mostra em 2014, com exposições internacionais agendadas para 2015, Dez ao Cubo se apresenta junto e misturado a outros artistas os quais agrega sem distinção entendendo o caráter difusor de suas ideias, a urgência de exaurir a caretice visual, de reconciliar o efêmero às nossas necessidades, de embriagar a arte de humanidade.

Fábio Carvalho

Os artistas originais do grupo são Roberto Tavares, Ilcio Arvellos Lopes, Maria Cherman, Petrillo, Paulo Mendes Faria, Ricardo Pimenta, Fernando Borges, Luiz Carlos de Carvalho, Rafael Vicente e Osvaldo Carvalho. Os cinco artistas convidados a integrar esta edição da exposição Dez ao Cubo são Fábio Carvalho, Marco Antonio Portela, Marcio Zardo, Helcio Barros e Paulo Della Niña.

Luiz Carlos de Carvalho‎

serviço:
exposição Dez ao Cubo - Juntos e Misturados
Artefato Galeria
rua Protásio Alves, 1893, Porto Alegre, RS
abertura: 18/10/2014 - 20h - sábado
até: 14/11/2014