[ Intervenção Urbana APOSTO - Fábio Carvalho - Lisboa ]

(Lisboa - Portugal)
de: 10/2/2015
até: 18/3/2015 (execução da intervenção urbana)
permanência da intervenção: indefinido

Fábio Carvalho está mais uma vez em Lisboa, Portugal, onde realiza a intervenção urbana "APOSTO".

Fábio Carvalho | Aposto - Lisboa
impressão a laser, cola de amido | 2015

Esta é a segunda vez em que o artista realiza um projeto de intervenção urbana naquela cidade. Ano passado Fábio Carvalho fez uma outra intervenção urbana, chamada “Migração Monarca”, durante as tradicionais Festas dos Santos Populares de Lisboa, que correspondem às festas juninas brasileiras, acrescentando bandeirinhas de papel de seda com seus "Monarcas" - soldados em uniforme camuflado, com asas de borboleta saindo de suas costas - às decorações já existentes pelas ruas.

Fábio Carvalho | Migração Monarca - Lisboa
impressão (tinta acrílica) com carimbos s/ papel de seda, linha, cola | 2014

Para o projeto de intervenção urbana deste ano, chamado “Aposto”, o artista, que é um apaixonado pelos azulejos antigos, tendo até mesmo um projeto paralelo de levantamento dos azulejos antigos em sua cidade natal, o Rio de Janeiro (http://azulejosantigosrj.blogspot.com.br), criou um novo padrão de azulejo, a partir de fotos de peças da série "Delicado Desejo". A série "Delicado Desejo" é composta por armas de fogo criadas a partir de um patchwork de diversas rendas.

Delicado Desejo | rendas diversas | 2015

O novo padrão de azulejo foi impresso em papel, e depois os azulejos de papel foram aplicados com cola de amido em fachadas de prédios lisboetas onde os azulejos originais já estavam em falta, por deterioração ou roubo. Nenhum azulejo real foi encoberto pelos azulejos de papel do artista.

Fábio Carvalho | Aposto - Lisboa
impressão a laser, cola de amido | 2015

O artista conta que desde que começou a ir à Lisboa com regularidade, a partir de 2011, ficou interessado pelos “remendos” errados que as pessoas fazem nas fachadas de suas casas, usando padrões diferentes dos originais para completar os buracos que vão aparecendo, e que isto foi um dos pontos de partida para esta intervenção artística.

Fábio Carvalho | Aposto - Lisboa
impressão a laser, cola de amido | 2015

Na página http://hs13rclisboa.blogspot.pt, é possível acompanhar a evolução da intervenção urbana, onde se pode encontrar até mesmo um “mapa dos tesouros”, com a localização exata de cada fachada azulejar que recebeu a intervenção de Fábio Carvalho. Nesta página o visitante irá encontrar ainda os outros projetos que o artista está desenvolvendo durante a Residência Artística HS13rc.

Fábio Carvalho | Aposto - Lisboa
impressão a laser, cola de amido | 2015

[ Ambiguidades ]

(Rio de Janeiro) 
abertura: 13/3/2015
até 9/5/2015

O Ateliê da Imagem Espaço Cultural inaugura mostra coletiva com dezenove artistas que, de alguma forma, utilizam a ambiguidade como valor fundamental na construção do seu discurso, frequentemente valorizando os ideais de informalidade, do acaso, da fragmentação, do inacabado e da indeterminação dos resultados.

Suas narrativas plástico - poético - visuais não caminham em linha reta, mas se bifurcam, entrecruzam-se, pois são múltiplos os focos narrativos e as possibilidades de desfecho. Assim, este projeto de exposição é colocado como uma proposta, cabendo ao participante construir sua versão.

Artistas
Alexandre Dacosta, André Sheik, Bob N, Eduardo Mariz, Felipe Barbosa, Greice Rosa, Julio Castro, Leonardo Ramadinha, Lia do Rio, Marcio Zardo. Marco Antonio Portela, Mirela Luz, Osvaldo Carvalho, Patricia Gouvêa, Raimundo Rodriguez, Rogério Reis, Rosana Ricalde, Suely Farhi, Xico Chaves

Curadoria: Marcio Zardo

Inauguração: 13 de março de 2015, às 19h

Visitação: até dia 9 de maio de 2015
Horários: Segunda a sexta de 10 às 21h; Sábado de 10 às 17h

Local: Ateliê da Imagem Espaço Cultural
Avenida Pasteur, 453, Urca - Rio de Janeiro
Tel: 21 2541 3314

[ Projeto Glory Hole ]

(São Paulo)
abertura: 10/2/2015
até: 24/4/2015

Galeria Jaqueline Martins inaugura projeto curatorial glory hole com o duo Tetine


A Galeria Jaqueline Martins inaugura no ano de 2015 o projeto glory hole. Glory hole nasce como um desdobramento da proposta conceitual da galeria que acredita em uma programação nutrida pela pesquisa, estabelecendo-se  como plataforma de ideias e experimentações práticas e teóricas.

O espaço destinado para projetos especiais que conta com um curador convidado por semestre dá oportunidade a curadores e artistas de diferentes gerações a materializarem suas pesquisas realizando exposições de caráter fortemente experimental. Inserido dentro do prédio da galeria, glory hole apresenta escala e dimensões que fogem do padrão convencional dos espaços arquitetônicos expositivos (2,15 x 1,38 x 0,90 cm).

Para a primeira ocupação do espaço glory hole o pesquisador Bruno Mendonça convidou a dupla de artistas brasileiros radicados em Londres – Tetine – formada por Bruno Verner e Eliete Mejorado. Com uma produção multimidia, a dupla apresenta um vocabulário híbrido e transdisciplinar cruzando linguagens e fronteiras entre os universos da música, da performance, da videoarte e do texto.

Em Raree-Show 1 a dupla apresentará uma instalação composta por sketchs de spoken word e experimentações sonoras que compõem uma narrativa que transita entre os campos da poesia, da literatura, do teatro, do cinema e da novela. As peças sonoras são como capítulos ou atos desta narrativa. O trabalho pode ser pensado de forma expandida como um livro, um filme ou uma peça de teatro.

A programação do espaço “glory hole” continuará ao longo do primeiro semestre de 2015 com curadoria de Bruno Mendonça e terá como convidados artistas como Cristiano Lenhardt, Annika Larsson, entre outros.

abertura: 10 de fevereiro de 2015, das 18h às 22h
exposição: 11/02/15 a 24/04/15
GALERIA JAQUELINE MARTINS
Pinheiros: r. Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 74, tel. (11) 2628-1943. Seg. a sex., 10h/19h; sáb., 12h/17h. www.galeriajaquelinemartins.com.br

[ exposição "Prometheus Fecit: terra, água, mão e fogo" chega a Óbidos (Portugal) ]

(Óbidos - Portugal)
abertura: 20/2/2015
até: 12/4/2015

A exposição coletiva de cerâmica PROMETHEUS FECIT chega a Óbidos (Portugal)


A exposição coletiva de cerâmica PROMETHEUS FECIT, que já passou pelo Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, Portugal, um dos mais importantes daquele país, tem sua primeira itinerância em 2015 em Óbidos. A exposição apresenta as obras resultantes de uma residência artística realizada entre fevereiro e julho de 2014 na Cerâmica PP&A São Bernardo, em Alcobaça. Portugal. A Cerâmica PP&A São Bernardo tem tradição na colaboração com renomados artistas internacionais, como Gerald Gulotta, Jasper Conran, James Packer, John Rochas, Arnold Zimmerman, Nancy Smith, entre outros. O projeto, que tem curadoria de Maria de Fátima Lambert (Portugal), conta com um total de 15 artistas brasileiros e portugueses, entre estes Albuquerque Mendes (PT), Estela Sokol (BR), Fábio Carvalho (BR), Gabriela Machado (BR), Isaque Pinheiro (PT) e Sofia Castro (PT).

[ exposições do 6° Salão dos Artistas Sem Galeria ]

(São Paulo e Belo Horizonte)
de 22/01/2015 até 29/03/2015
(veja as datas de cada galeria no serviço)

6° Salão dos Artistas Sem Galeria exibe obras dos 10 artistas selecionados em galerias de SP e MG

Os dez artistas selecionados na 6ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria, promovido pelo Mapa das Artes (www.mapadasartes.com.br), participam de exposições coletivas em três galerias. Em São Paulo, as exposições são simultâneas e ocorrem na Galeria Sancovsky (antiga Arterix) (de 22/1 a 21/2) e na Zipper Galeria (de 23/1 a 21/2). Em Belo Horizonte, a mostra ocorre na Orlando Lemos Galeria, entre 07 e 29/03/15. O artista premiado ganhará uma individual no mesmo período no espaço mineiro.

Andrey Zignatto

O júri de seleção foi formado pelos curadores Adriano Casanova, Enock Sacramento e Mário Gioia, que escolheu os seguintes artistas: Andrey Zignnatto (SP), Charly Techio (SC/PR), Cida Junqueira (SP), Evandro Soares (BA/GO), Fernanda Valadares (SP/RS), Lucas Dupin (MG), Marcos Fioravante (PR/RS), Myriam Zini (Marrocos/SP), Piti Tomé (RJ) e Thais Graciotti (ES/SP). Após a abertura, o júri fará votação para definir o ganhador do prêmio. O escolhido ganhará ainda uma exposição individual na Orlando Lemos Galeria. Todos os dez selecionados recebem ajuda de custo.

O Salão dos Artistas Sem Galeria tem como objetivo avaliar, exibir, documentar e divulgar a produção de artistas plásticos que não tenham contratos verbais ou formais (representação) com galeria de arte na cidade de São Paulo. O Salão é uma porta de entrada para os artistas selecionados no mundo das artes.

Myriam Zini

A 6ª edição do Salão dos Artistas Sem Galeria recebeu 145 inscrições de 11 Estados brasileiros mais o Distrito Federal. São Paulo compareceu com 88 artistas, sendo 69 da capital, 15 do interior, 4 do ABC e um do litoral. Rio de Janeiro teve 19 inscritos (14 da capital e cinco do interior e litoral). Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais vieram em terceiro, com sete inscritos cada. Santa Cataria compareceu com quatro inscrições. Amazonas, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso e Pará tiveram uma inscrição cada.

Thais Graciotti

Serviço:

GALERIA SANCOVSKY (Antiga Arterix)
Abertura: 22 de janeiro, quinta-feira, das 19h às 22h
Período expositivo: de 23 de janeiro a 21 de fevereiro de 2015
Praça Benedito Calixto, 103, Pinheiros, São Paulo, SP
Tel.: (11) 3086-0784. | Seg. a sex., 10h/19h; sáb., 10h/18h30.

ZIPPER GALERIA
Abertura: 23 de janeiro, sexta-feira, das 19h às 22h
Período expositivo: de 24 de janeiro a 21 de fevereiro de 2015
Rua Estados Unidos, 1.494, Jardins, São Paulo, SP
Tel.: (11) 4306-4306 | Seg. a sex., 10h/19h; sáb., 11h/17h.

ORLANDO LEMOS GALERIA
Abertura: 07 de março de 2015, das 12h às 18h
Período expositivo: de 08 a 29 de março de 2015
Nova Lima: r. Melita, 95, Jardim Canadá,
Tel. (31) 3224-5634 e 3581-2025 | Seg. a sex., 10h/19h, sáb., 11h/17h, dom., 12h/16h.

[ Vânia Mignone ]

(São Paulo)
abertura: 5/2 | 19 - 23 h
até: 28/3



Em sua nova individual na Casa Triângulo, Vânia Mignone reúne séries de pinturas que trafegam por uma iconografia apropriada de cartazes antigos de cinema e pelo movimento das estradas.

Parte das obras presentes nesta exposição revelam paisagens do interior paulista pelo ponto de vista do carro, como placas de rodovias ou letreiros tridimensionais. São pinturas silenciosas, mas que evidenciam um passeio pelas estradas ou uma viagem. A visão através do parabrisa do autóvel sugere a chegada a alguma cidade, como nas obras “Lins” ou “Desvio para Paulínia”, da série inédita de gravuras pintadas.

A série de pinturas e colagens vermelhas flertam com linguagens utilizadas no cinema ou no universo das histórias em quadrinhos e recorrem a fragmentos de uma narrativa na qual personagens protagonizam situações encenadas. Uma outra série inédita de pinturas brancas, parece discutir tal artificialidade da representação, sem perder a delicadeza.

Outra novidade no trabalho da artista é o uso de papel garimpado em sebos, geralmente de impressões da Taschen Books, que carregam resquícios das impressões originais, forçando a atemporalidade de sua obra.

As palavras de linhas grossas formam frases que ganham força poética e fazem o trabalho de Vânia Mignone ter um estilo identificável, que ecoa e reverbera na memória do espectador como se fosse um sonho, uma realidade ou uma memória, que já faz parte de nosso repertório visual.

abertura: 5 de fevereiro das 19 às 23 horas
exposição: de 6 de fevereiro a 28 de março de 2015
horário de funcionamento: de terça a sábado das 11 às 19 horas
casa triângulo
rua pais de araujo 77 são paulo 04531-090

[ Fábio Carvalho - Residência e Ocupação Artística HS13rc | Lisboa | PT ]

(Lisboa - Portugal )
de 9/2 a 18/3 | 2015

Fábio Carvalho parte mais uma vez para Portugal, onde fará a Residência e Ocupação Artística HS13rc, de fevereiro a março, em Lisboa.



O projeto consiste ao mesmo tempo de uma Residência Artística e uma Ocupação, pois os trabalhos decorrentes da residência artística serão expostos, no próprio estúdio, à medida que forem ficando prontos. Durante os 35 dias da residência artística, o artista receberá convidados em seu estúdio para acompanhar a produção, trocar ideias, debater sobre suas questões em arte, ou qualquer outro assunto que possa surgir.

Num primeiro momento, o artista pretende dar desdobramento a sua série de trabalhos mais recente, chamada "Delicado Desejo". Nesta série, onde vemos armas de fogo compostas por um patchwork de rendas diversas, o artista faz uma reflexão da mistura de fascínio e repulsa que muitos têm pelas armas de fogo, em especial no continente americano. Tal como nos EUA, também no Brasil as armas de fogo são símbolos de poder e força. No crime organizado, quanto maior o calibre e o poder de destruição de uma arma, maior é o status do indivíduo dentro da organização. E consequentemente, maior seu poder e território comandado.

Delicado Desejo | rendas diversas | 2015

A série "Delicado Desejo" é ainda uma crítica aos estereótipos de masculinidade, uma vez que as armas de fogo são também uma demonstração ostensiva da virilidade de um sujeito. Só que aqui as armas são feitas de rendas delicadas, florais, que originalmente são produzidas para serem usadas como apliques e ornamentação de roupas femininas.

Além de desenvolver os desdobramentos da série, Fábio Carvalho pretende registrar como os portugueses reagem a estas imagens, e buscar paralelos e oposições entre estas reações com as do público brasileiro. 

Para registrar o processo da residência e ocupação artística, e permitir a quem está fora de Lisboa acompanhar o desenvolvimento do projeto, e até mesmo participar através de mensagens e bate-papos online, será criado um álbum no facebook (link >>) e um blog (HS13rcLisboa.blogspot.com.br), onde fotos e anotações do dia a dia serão publicadas regularmente.

A ocupação irá também se espalhar pelas imediações. 

O artista está preparando um novo projeto de intervenção urbana, chamado "Cowboys and Angels", que será distribuido por postos estratégicos na área da antiga freguesia dos Anjos, onde fica o estúdio que será ocupado pelo artista. Anjos é uma antiga freguesia portuguesa em Lisboa, instituída em 1564. A região de Anjos em Lisboa possui vários espaços culturais, muitos de caráter independente, com exposições, concertos, dança, poesia, etc., de forma que as visitas ao estúdio do artista poderão ser "esticadas" depois até um destes espaços culturais.

Cabe lembrar que em junho de 2014 Fábio Carvalho fez uma intervenção urbana na cidade, durante as tradicionais Festas dos Santos Populares de Lisboa, que correspondem às festas juninas brasileiras, acrescentando bandeirinhas de papel de seda com seus "Monarcas" - soldados em uniforme camuflado, com asas de borboleta saindo de suas costas - às decorações já existentes pelas ruas.

Fábio Carvalho | Migração Monarca - Lisboa
impressão (tinta acrílica) com carimbos s/ papel de seda, linha, cola | 2014 

exposição Prometheus Fecit - Óbidos

Além da Residência e Ocupação Artística, Fábio Carvalho ainda participa de fevereiro a abril da exposição coletiva Prometheus Fecit, em dois espaços na cidade de Óbidos: no Museu Municipal de Óbidos e na Galeria novaOgiva Arte Contemporânea.

As duas obras que Fábio Carvalho apresentará ("Em Pele de Cordeiro" e "Gêmeos") são resultado da residência artística realizada em junho de 2014 na Cerâmica PP&A São Bernardo, em Alcobaça. Portugal.


Fábio Carvalho | Em Pele de Cordeiro | 2014
foto: Francisco Queiroz



A exposição, que já passou pelo Museu Nacional Soares dos Reis, no Porto, Portugal, um dos mais importantes daquele país, agora será ampliada para se criar um diálogo com a obra da importante pintora portuguesa do século XVII Josefa d'Óbidos, especialista na pintura de flores e naturezas mortas, bem como de cenas religiosas cercadas por densas molduras florais, que se dedicou ainda à estampa, gravura, modelagem do barro, desenho de figurinos, padrões para tecidos, acessórios vários e a arranjos florais.


Josefa de Óbidos | Cordeiro Pascal | c. 1660-70 | Museu Regional Évora | Portugal

O projeto, que tem curadoria de Maria de Fátima Lambert (Portugal), conta com um total de 15 artistas brasileiros e portugueses, entre estes Albuquerque Mendes, Carolina Paz, Estela Sokol, Fábio Carvalho, Gabriela Machado, Isaque Pinheiro e Sofia Castro. 

[ Paulo Werneck – muralista brasileiro ]

(Belo Horizonte)
abertura: 15 de novembro de 2014
até 1 de março de 2015


Depois de Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Recife, a exposição Paulo Werneck - muralista brasileiro será inaugurada no dia 15 de novembro no Museu de Arte da Pampulha, em Belo Horizonte. Desenhos originais, imagens de painéis, filmes, documentos e mobiliário compõem a mostra do ilustrador e artista carioca, que colaborou com grandes nomes da arquitetura brasileira, como Oscar Niemeyer e os irmãos Roberto.

A chegada da mostra a Belo Horizonte tem um significado especial, já que entre as obras de maior de destaque da carreira de Paulo Werneck (1907-1987) estão os painéis da Igreja São Francisco de Assis e o painel da Casa de Juscelino Kubitschek, na Pampulha, realizadas em 1943. A edição mineira da exposição será a mostra mais completa já realizada sobre o trabalho de Paulo Werneck no Brasil, criando um panorama da evolução da arquitetura moderna no país através dos murais criados pelo artista. Além dos famosos painéis da Pampulha, são obras de Werneck os painéis do Estádio do Maracanã, do Ministério da Fazenda (Rio de Janeiro), do Senado e do Palácio do Itamaraty (Brasília), e da agência do Banco do Brasil no Recife Antigo (Recife), entre outros 300 murais para residências, prédios públicos e comerciais. Seus trabalhos estão expostos a céu aberto em cidades brasileiras.

Os visitantes poderão conferir um total de 150 projetos para painéis em guache sobre papel, documentos, reproduções fotográficas e ilustrações do artista para livros infanto-juvenis como "A Lenda da Carnaubeira" e "Negrinho do Pastoreio". O documentário Paulo Werneck – arte e raiz, dirigido por Paula Saldanha e o vídeo P.W. Pincéis e painéis, de Vivian Ostrovsky, completam a imersão no universo do artista.

 
SERVIÇO:
Exposição Paulo Werneck – muralista brasileiro
Museu de Arte da Pampulha
Av. Otacílio Negrão de Lima, 16.585. Pampulha, Belo Horizonte – MG
abertura: 15 de novembro de 2014
até 1 de março de 2015
terça a domingo, das 9h às 18h30
entrada gratuita
informações: (31) 3277-7946
www.projetopaulowerneck.com.br

[ Fábio Carvalho participa da exposição coletiva "Efígie" - Rio de Janeiro ]

(Rio de Janeiro)
abertura: 19/12/2014 - 19h
até: 28/02/2015


Fábio Carvalho participa da exposição coletiva "Efígie", que reúne 21 artistas na Galeria do Ateliê da Imagem, na Av. Pasteur, 453, Urca, Rio de Janeiro. A exposição abre no dia 19/12, sexta, 19h, e tem curadoria de Marco Antonio Portela.


Pensando o conceito de efígie – uma representação icônica – a busca de um entendimento sobre a nossa natureza, vemos a aura e o poder de construção de uma imagem que representa o homem. As preocupações estéticas e os diálogos propostos na presente mostra ora se aproximam, ora se afastam do conceito de representação, além de trazerem frescor e abrirem vias para análises poéticas distintas. Com isso, nos deparamos com uma investigação lírica, uma procura por atingir um grau de encantamento. E, também, com uma tentativa de nos eternizar, quase transformando todos nós em divindades.

Partindo do pressuposto que sempre nos reconhecemos representados em toda e qualquer imagem humana, o autorretrato tornaria-se dispensável. No entanto, ele está cada vez mais presente, e fica difícil imaginar sua ausência em tempos de tantos selfies. Deitando o olhar no conceito de alegoria, quando se representa simbolicamente um objeto para significar outro, visualizamos, nesta exposição, trabalhos empenhados em dizer além das aparências do que surge na superfície, expressando pensamentos e emoções, ultrapassando, até mesmo, a ideia de metáfora.

Bai feliz buando, no bico dum passarinho n° 9
renda e passamanaria, bordado à mão, apliques industriais, aplique metálico, miçangas | 2014

Para esta exposição Fábio Carvalho produziu especialmente o trabalho "Bai feliz buando, no bico dum passarinho n° 9", que faz parte da série de mesmo título iniciada durante a Residência Artística no Maus Hábitos, Porto, Portugal, em abril 2012, onde o artista buscou incorporar em seu trabalho elementos típicos dos lenços de namorados, um labor manual tipicamente feminino da cultura lusitana.

Os lenços de namorado, que surgiram no século XVIII, eram lenços bordados pelas moças solteiras, usados para declarar seu interesse por um determinado rapaz. Elas entregavam o lenço para o pretendente, que se o usasse em sua roupa no dia seguinte, indicava que ele correspondia ao seu sentimento. Mais tarde, os lenços passaram também a ser presenteados ao namorado ou marido que partia para uma terra distante em busca de melhores condições de vida, e muitas vezes o destino era o Brasil.


As fotos usadas na série Bai feliz buando, no bico dum passarinho são sempre de soldados que estavam prestes a partir para a I Guerra Mundial, muito provavelmente para serem deixadas com as famílias, como uma lembrança. Para muitas destas pessoas, esta foi a primeira e última foto que fizeram em todas as suas vidas.

Os artistas participantes da mostra são Ana Stewart, Arlete Soares, Bruno Veiga, Celina Portella, Daniela Dacorso, Edu Monteiro, Edu Simões, Fabian, Fábio Carvalho, Fábio Seixo, Frederico Dalton, Ismar Ingber, Joaquim Paiva, José Caldas, Kitty Paranaguá, Marco Antonio Portela, Marcos Bonisson, Pití Tomé, Renan Cepeda, Rogério Reis e Vicente de Mello.

serviço:
exposição Efígie
Galeria do Ateliê da Imagem abertura: 19/12/2014 - 19h
até: 28/02/2015
Av. Pasteur, 453 - Urca - RJ
seg a sex 10h às 21h | sab 10h às 17h
entrada franca.

[ Efígie ]

(Rio de Janeiro)
abertura: 19/12/2014 - 19h
até: 28/02/2015



Fechando o ano de 2014, a Galeria do Ateliê da Imagem abre dia 19 de dezembro a exposição coletiva Efígie com 21 artistas, entre eles, Edu Simões, Fábio Carvalho, Frederico Dalton, Joaquim Paiva, Marco Antonio Portela, Marcos Bonisson e Vicente de Mello. A curadoria é de Marco Antonio Portela.

Edu Simões

Pensando o conceito de efígie – uma representação icônica – nos retratos feitos por fotógrafos em busca de atingir poderosas abstrações e ressignificações que propiciem um entendimento sobre a nossa natureza, vemos a aura e o poder de construção de uma imagem que representa o homem. As preocupações estéticas e os diálogos propostos na presente mostra ora se aproximam, ora se afastam desse conceito de representação, além de trazerem frescor e abrirem vias para análises poéticas distintas. Com isso, nos deparamos com uma investigação lírica, uma procura por atingir um grau de encantamento. E, também, com uma tentativa de nos eternizar, quase transformando todos nós em divindades.

Fábio Carvalho

Temos, então, nesse espectro diverso, propositores de imagens procurando, cada um a sua forma, pensar como transfigurar aquilo que nos é mais próximo: nossa própria simulação imagética. Partindo do pressuposto que sempre nos reconhecemos representados em toda e qualquer imagem humana, o autorretrato tornaria-se dispensável. No entanto, ele está cada vez mais presente, e fica difícil imaginar sua ausência em tempos de tantos selfies.

Marco Antonio Portela

Deitando o olhar no conceito de alegoria, quando se representa simbolicamente um objeto para significar outro, visualizamos, nesta exposição, trabalhos empenhados em dizer além das aparências do que surge na superfície, expressando pensamentos e emoções, ultrapassando, até mesmo, a ideia de metáfora.

Lembrando que esta galeria está inscrita dentro de uma escola de imagem, não tememos correr o risco que assinalava Platão sobre jovens miradas: “quem é novo não é capaz de distinguir o que é alegórico do que não é”. Vamos procurar nos ver além do retrato, além do que somos, vamos nos perpetuar como uma efígie.

Marco Antonio Portela

Marcos Bonisson

serviço:
exposição Efígie
Galeria do Ateliê da Imagem abertura: 19/12/2014 - 19h
até: 28/02/2015
Av. Pasteur, 453 - Urca - RJ
seg a sex 10h às 21h | sab 10h às 17h
entrada franca.

Piti Tomé